quarta-feira, 31 de março de 2010

Traduzindo rótulos

Colesterol, gordura trans, carboidratos, proteínas... já foi o tempo em que ir ao supermecado era uma coisinha simples, acomodada entre uma atividade e outra. Escolher bem os alimentos que bom! é uma preocupação cada vez mais comum. Mas a tarefa leva tempo e requer preparo.

Ei, mas nada de torcer o nariz. A nutricionista
Roberta Stella, encarou a missão de traduzir o que está por trás da maioria dos rótulos existentes por aí, incluindo aqueles mais compliados e cheios de palavras difíceis. A seguir, ela destrinxa tudo (tu-di-nho mesmo) sobre os principais conceitos que precisam estar na ponta da língua de qualquer pessoa interessada em manter a alimentação saudável e o peso em dia.

Calorias

Nos alimentos, a unidade correta a ser usada é quilocalorias (kcal) substituída, no dia-a-dia pelas simples calorias . Os nutrientes que fornecem energia para o corpo são três, denominados macronutrientes: carboidratos (4 kcal/g), proteínas (4 kcal/g) e as gorduras (9 kcal/g).

Eles devem fornecer dados como calorias, fibras e colesterol
Carboidratos

eles são a primeira fonte de energia para o organismo e não devem jamais ser cortados da alimentação. São de três tipos: monossacarídeos (frutose, glicose e galactose), dissacarídeos (sacarose, maltose e lactose) e polissacarídeos (amido, dextrina, celulose e glicogênio).

Não existe alimentação saudável sem frutas, legumes, verduras e grãos integrais, todos exemplos de carboidratos. Mas, cuidado: evite os açúcares simples ou refinados, porque eles fornecem muita energia sem uma variedade de nutrientes importante para o bom funcionamento do organismo.De toda a quantidade de calorias ingeridas no dia, de 50 a 60% devem vir dos carboidratos.


Proteínas

são os nutrientes envolvidos com a formação de células, enzimas e hormônios, daí sua denominação de construtores. São fonte de substâncias que nosso organismo não produz, conhecidas por aminoácidos essenciais.

Por isso, alimentos ricos em proteínas devem fazer parte do cardápio diário , explica a especialista do Dieta e Saúde. Os alimentos fontes de proteínas são os de origem animal (carnes, leites) e alguns de origem vegetal (leguminosas, como soja e feijão). De toda a quantidade de calorias ingeridas no dia, de 15 a 20% devem vir das proteínas.


"A gordura que era líquida e insaturada passa a ser sólida e saturada, trazendo riscos quando consumida em grandes quantidades"
Gordura Trans

desde 31 de julho de 2006, as empresas são obrigadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) a indicar, no rótulo dos alimentos, a quantidade de gordura trans. Trata-se de um tipo de nutriente originado na gordura vegetal (que, naturalmente, é insaturada e não prejudica a saúde).

Para a gordura vegetal dar sabor, forma e textura aos alimentos industrializados, ela passa por um processo denominado hidrogenação (daí o termo gordura hidrogenada).

Nesse momento, a gordura que era líquida e insaturada passa a ser sólida e saturada, trazendo riscos quando consumida em grandes quantidades. Bolos e tortas industrializadas, biscoitos salgados, biscoitos recheados, pratos congelados, sorvetes cremosos e margarinas incluem essa gordura em suas receitas.

Ainda não existe uma recomendação de quantidade de gordura trans para a dieta, mas sugerimos o consumo de, no máximo, 2 gramas por dia , afirma Roberta.


Gordura saturada

sólida em temperatura ambiente e, assim como a gordura trans, está relacionada com o aumento do colesterol ruim. Conseqüentemente, o excesso dela é fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Os alimentos de origem animal são a principal fonte de gorduras saturadas. Mas os óleos de coco e de dendê (origem vegetal) também fornecem esse tipo de gordura.


Colesterol

o colesterol é um tipo de gordura, importante para o organismo, pois está envolvido na produção de hormônios sexuais e das glândulas supra-renais, na formação da membrana celular e da bile, usada na digestão das gorduras.

O corpo obtém o colesterol de duas maneiras: o próprio organismo produz, no fígado, e a partir das refeições. Mas somente os alimentos de origem animal contêm colesterol , explica Roberta Stella. Todos os tipos de carnes, leite e derivados, por exemplo.

Na versão integral, esses produtos contêm mais colesterol afinal, contêm mais gordura. Bacon, vísceras, embutidos e gema de ovo são campeões em quantidade de mau colesterol, cuja ingestão diária não deve ultrapassar 300 mg.

Fibras

é um termo genérico para várias substâncias que não são absorvidas pelo organismo durante a digestão dos alimentos. Há dois tipos de fibras: as solúveis e as insolúveis.

As fibras solúveis, durante o processo de digestão, absorvem água e formam um gel, ajudando na redução dos níveis de colesterol ruim no sangue. Já as fibras insolúveis estão relacionadas com a melhora do funcionamento intestinal e com a prevenção de câncer do cólon e reto.

Os alimentos ricos em fibras são as frutas, os grãos integrais, as leguminosas, os legumes e verduras. A quantidade de fibra recomendada por dia é de 30 gramas.


É mito ou verdade que carboidratos consumidos em excesso acumulam-se sob a forma de gordura? Como e por que isso acontece?

Isso é um mito.

O ganho de peso acontece devido ao consumo excessivo de calorias, não gasto durante o dia. Assim, as calorias excedentes serão depositadas no corpo na forma de gordura.

Entretanto, a recomendação é que todos os nutrientes sejam distribuídos entre todas as refeições do dia. Se você não conhece a composição dos alimentos, é fácil: varie. Inclua no seu cardápio alimentos de origem animal (carnes e leites), vegetais (cereais, frutas, legumes e verduras) e faça pequenos lanches entre essas refeições.

Assim, você terá uma variedade de alimentos e evitará o acúmulo de um determinado nutriente. Se, à noite, você ingerir somente macarrão, saladas, legumes e frutas, a sua alimentação será rica em carboidratos.

Consumindo um pequeno filé grelhado, acompanhado de pequenas porções de legumes cozidos e salada, a quantidade de carboidratos irá se reduzir, além de haver uma maior variedade de nutrientes.

fonte: http://www.minhavida.com.br/conteudo/10051-Traduza-os-rotulos-e-escolha-bem-os-alimentos.htm

terça-feira, 30 de março de 2010

O que são alimentos funcionais?


Os alimentos funcionais ou nutracêuticos são aqueles que colaboram para melhorar o metabolismo e prevenir problemas de saúde. Ou pelo menos deveriam ser assim: os cientistas já reconhecem as propriedades funcionais de muitos desses alimentos, porém os estudos ainda não são conclusivos. “A ciência ainda não consegue determinar uma dieta diária de alimentos funcionais que atenda a todas as necessidades do organismo”, explica Valdemiro Sgarbieri, da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp.

Essas substâncias não são novidade, como às vezes prega a indústria de alimentos. As isoflavonas, por exemplo, compostos que ajudam na redução do colesterol ruim, fazem parte da alimentação humana desde que a soja foi descoberta pelos chineses, há mais de 5 000 anos.

O que vem acontecendo é um aprofundamento nos conhecimentos da natureza química das substâncias funcionais e das suas funções no organismo. Com isso, os laboratórios e a indústria alimentícia passaram a produzir, em larga escala, alimentos funcionais formulados ou “artificiais”, como leites fermentados, biscoitos vitaminados e cereais matinais ricos em fibras.

Para chegarem ao mercado, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária exige que o fabricante apresente provas científicas das propriedades funcionais alegadas na embalagem. Mas não se entusiasme demais com os rótulos: 1 litro de leite com ômega 3, por exemplo, oferece menos desse ácido graxo que uma posta de salmão.

Fonte: Inar de Castro, pesquisadora da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP.

Betacaroteno

O que faz: Ajuda a diminuir o risco de câncer.

Como age: Quando ingerimos gorduras e proteínas, o betacaroteno se converte em vitamina A, protegendo as células do envelhecimento.

Onde encontrar: Abóbora, cenoura, mamão, manga, damasco, espinafre, couve.

Isoflavonas

O que fazem: Atenuam os sintomas da menopausa.

Como agem: Por ter uma estrutura química semelhante ao estrógeno (hormônio feminino), alivia os efeitos de calor e cansaço da menopausa e da tensão pré-menstrual.

Onde encontrar: Soja e seus derivados.

Licopeno

O que faz: Está relacionado à diminuição do risco de câncer de próstata.

Como age: Evita e repara os danos dos radicais livres que alteram o DNA das células e desencadeiam o câncer.

Onde encontrar: Tomate e seus derivados, além de beterraba e pimentão.

Ômega 3

O que faz: Diminui o risco de doenças cardiovasculares.

Como age: Reduz os níveis de triglicerídeos e do colesterol total do sangue, sem acumulá-lo nos vaso sanguíneos do coração.

Onde encontrar: Peixes de água fria, como salmão e truta, e óleo de peixes.

Flavonóides

O que fazem: Diminuem o risco de câncer e atuam como antiinflamatórios.

Como agem: Anulam a dioxina, substância altamente tóxica usada em agrotóxicos.

Onde encontrar: Suco natural de uva e vinho tinto, além de alimentos como café, chá verde, chocolate e própolis.

Probióticos

O que fazem: São microorganismos vivos que ajudam no equilíbrio da flora intestinal.

Como agem: Impedem que bactérias e outros microrganismos patogênicos se proliferem no intestino.

Onde encontrar: Iogurtes e leite fermentado.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Armadilha contra o mosquito da dengue – Matemática da Mosquiteca

O surto de dengue no Brasil só está piorando e já passou da hora da população tomar atitudes ao invés de ficar esperando os governantes dar fim a este problema, só assim, juntos, vamos exterminar este devasto mosquito da dengue.

Recebi um email do parceiro Miguel Mascarenhas ensinando passo-a-passo como fazer armadilhas contra o mosquito da dengue e anexo uma dinâmica da matemática da Mosquiteca.

Mas o que seria a Mosquiteca?

É o nome que o inventor deu a armadilha contra o mosquito da dengue.

E do que se trata a matemática da Mosquiteca?

Consiste em juntar forças para exterminar este mosquito do cão. Construa 10 armadilhas, espalhe 5 pelo seu quintal e dê as outras 5 aos vizinhos, amigos, parentes e etc. Peça que cada um deles faça o mesmo. Imagine a quantidade de armadilhas que vamos ter.

Ou seja, se cada um fizer a sua parte em 3 rodadas apenas teremos 1.560 armadilhas, enganando as fêmeas do mosquito. Em até 35 dias a fêmea do mosquito estará morta e se não tiver colocado os ovos em locais onde os ovos se transformem em mosquitos, teremos (1.560 x 10 x 100 = 1.560.000) mosquitos a menos. O número é este mesmo: mais de 1,5 milhões de mosquitos, considerando que cada armadilha engane pelo menos 10 fêmeas e que estas fêmeas coloquem ovos apenas 4 vezes na sua vida adulta.

Quem tem blog pode ajudar ainda mais.

Se você tem um blog ou site vai ajudar ainda mais se fizer igualmente estou fazendo aqui. Escreva, divulgue a matemática da Mosquiteca, ensine como fazer a armadilha contra a dengue.

Vamos então para o passo-a-passo na confecção da armadilha contra o mosquito da dengue:

1. Pegue uma garrafa PET de 1,5 litros ou mais;

2. Corte a parte superior para fazer uma espécie de funil;

Armadilha contra o mosquito da dengue - Matemática da Mosquiteca

3. Corte cerca de 10 cm da Pet, parte da base da garrafa;

Armadilha contra o mosquito da dengue - Matemática da Mosquiteca

4. Lixe a parte interna do pedaço similar a um funil, (pode ser utilizada uma lixa para madeira granulação 60, 100 0u 120. O objetivo é deixar a superfície interna bem áspera em toda a sua extensão;

Armadilha contra o mosquito da dengue - Matemática da Mosquiteca

5. Utilizando o “anel” parte da tampa da própria garrafa, faça um fechamento com um pedacinho de tela dobrado, (não serve o tule de véu de noiva, pois o buraco é grande o suficiente para que o mosquito passe);

Armadilha contra o mosquito da dengue - Matemática da Mosquiteca

6. Coloque cinco grãos de arroz, ou de alpiste amassados, ou ainda ração para gatos dento da parte inferior da garrafa Pet;

Armadilha contra o mosquito da dengue - Matemática da Mosquiteca

7. Sele as duas partes com fita isolante;

Armadilha contra o mosquito da dengue - Matemática da Mosquiteca

8. Está pronta a armadilha para a fêmea do mosquito transmissor da dengue;

Armadilha contra o mosquito da dengue - Matemática da Mosquiteca

9. Encha com água limpa até cerca de 3 cm da borda do funil. Complete a água à medida que a mesma for evaporando;

10. Coloque a armadilha no quintal ou onde ficam os mosquitos. É necessário ser um local sombreado, pois as fêmeas do mosquito não gostam de sol;

11. A fêmea do mosquito verifica onde está havendo evaporação da água para colocar os seus ovos;

12. Os ovos descerão pelos buracos da tela e ficarão na parte inferior do recipiente. A tela serve de elemento de ligação entre as duas partes e não permite que as larvas passem para a parte superior do recipiente. A presença da barreira de tela é muito importante, se ela estiver rasgada/destruída ao invés de uma armadilha para o mosquito você estará fornecendo um criatório para o mesmo;

13. Periodicamente esvazie a parte inferior e mate as larvas com cloro. Verifique se está tudo OK com a tela e encha novamente a armadilha com água. Verifique a sua armadilha todos os dias.

14. O mosquito adulto vive de 30 a 35 dias, e as fêmeas põem ovos de quatro a seis vezes, nesse período. Em cada vez, ela põe cerca de 100 ovos, sempre em locais com água limpa e parada. Se não encontra recipientes apropriados para depositar seus ovos, a fêmea pode voar distâncias de até três quilômetros até localizar um ponto que considere ideal. A temporada de chuva complica as coisas: um ovo de Aedes Aegypti pode sobreviver até 450 dias – um ano e dois meses – mesmo que o local em que ele foi depositado fique seco. Se esse local receber água novamente (quando há uma chuvarada, por exemplo), o ovo volta a ficar ativo, podendo se transformar em larva e depois em pupa, e atinge a fase adulta num prazo curtíssimo: de dois a três dias.

Porque é necessário lixar o “funil”?

A superfície fica corrugada e com isso a água sobe por capilaridade, aumentando a taxa de evaporação atraindo mais facilmente a fêmea do mosquito “Aedes Aegypti”.

Porque é necessário colocar os grãos de arroz ou alpiste amassados?

A fêmea só põe ovos onde ela identifica que a água possui alimento para as larvas. Até “os mosquitos” têm instinto materno.

Está esperando o que? Mãos à obra.

fonte: http://www.blogadao.com/armadilha-contra-o-mosquito-da-dengue-matematica-da-mosquiteca/


sexta-feira, 26 de março de 2010

Programa Fronteiras da Ciencia


Não perca o Programa Fronteiras da Ciência nesse próximo domingo, 28/03, na TV Santa Cecília, que trará o ufólogo PauloAnibal para falar sobre Turismo Ufológico e Revelações na região de Peruíbe!

A Casa Viva é apoiadora do Programa desde 2006, e sorteia todos os domingos um brinde para os telespectadores que ligarem durante a programação, nesse domingo estará oferecendo uma caixa de Amaranto, da Mãe Terra,
ligue e participe!


acesse o site http://www.fronteirasdaciencia.com.br
assista também pela internet ao vivo
Desde a sua criação, em 1998, Fronteiras da Ciência é apresentado ao vivo pelo professor universitário Jadir Albino que conduz as entrevistas de maneira informal, formulando questões enviadas pelos telespectadores, sorteando brindes e gerando com isso grande empatia com o público.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Pudim da Tapioca (sem Glúten)

video
clique para assistir


Este pudim já se consagrou em reuniões, lanches e festas ... Super fácil e rápido de fazer, e um sucesso entre todos, mesmo entre aqueles que consomem glúten. Quando feito, não dura mais que um dia! (não deixe de conferir também o vídeo no final desta receita)

Ingredientes

3 xícara (de chá) de água

3/4 xícara. (de chá) de açúcar

1 xícara (de chá) de tapioca

1 vidro de leite de côco

1 pacote de flocos de côco ralado

1 xícara (de chá) de leite

Leite condensado a gosto

Modo de Fazer

Despejar todos os ingredientes em uma panela. A tapioca deve ser colocada depois da água e do açúcar. Em relação ao côco ralado, o ideal é usar metade da quantidade para o pudim e a outra metade para decoração (ver abaixo).

Levar ao fogo alto e mexer até engrossar. Quando começar a engrossar, abaixar o fogo e continuar mexendo entre 2 e 3 minutos.

Desligar e despejar em forma de buraco molhada com água antes de colocar o pudim.

Quando frio, desenformar e espalhar côco ralado fresco ou em pacote (se for côco em pacote, hidratar o côco antes de decorar o pudim)

Para finalizar despeje leite condensado por cima (a quantidade de leite condensado fica a gosto de cada pessoa)

fonte: http://www.vidasemglutenealergias.com/pudim-da-tapioca-sem-gluten/649/

Vacina da Gripe para Crianças com Alergia a Ovos?

Vaccine and egg allergyA alergia ao ovo de galinha é comum em crianças (estima-se que 0.5 a 2.5% das crianças possuam esta alergia), e requer a eliminação dos ovos da dieta da criança (e da mãe, no caso de crianças em fase de amamentação), a implementação de precauções para evitar reações alérgicas severas e o monitoramento médico para detecção do desenvolvimento de tolerância a este alimento, uma vez que a maioria das crianças com alergia à ovos poderá tolerar sua ingestão com o passar do tempo.

A alergia geralmente se manifesta cerca de 30 minutos após a ingestão de alimentos contendo ovos (ou derivados), sendo geralmente de manifestação cutânea (na pele), embora sintomas gastrointestinais também possam ocorrer. Em alguns casos, a alergia aos ovos está associada à dermatite atópica.

Vacinação de Crianças alérgicas à Ovos

Várias vacinas, incluindo a vacina da gripe e febre amarela, são produzidas em meios contendo ovos, e portanto seriam potencialmente perigosas para crianças e adultos com esta alergia.

A vacina da gripe, em particular, é cultivada em ovos de galinha, contendo assim em sua composição proteínas (como a ovoalbumina) responsáveis pelas reações alérgicas. Os riscos de reações alérgicas à vacina parecem ser baixos, porém existentes. Por exemplo, em uma campanha de vacinação em 1976 nos Estados Unidos, foram observados 11 casos de reações anafiláticas à vacina, dentre as 48 milhões de doses de vacinas administradas. Alguns estudos mais recentes indicam que a vacina contra a gripe parece ser segura para pacientes com histórico de alergia à ovos se a vacina contém uma baixa dose de proteínas de ovos. No entanto, a Academia Americana de Pediatria não recomenda a vacinação contra gripe para crianças com histórico desta alergia, principalmente se a alergia é severa. A imunização é recomendada apenas nos casos em que as crianças tem histórico de reações leves a ovos, porém deve ser administrada sob monitoramento médico para acompanhamento e detecção de possíveis reações.

Naqueles casos em que opta-se por dar a vacina da gripe para pessoas com alergia à proteína de ovos de galinha, a Escola Americana de Alergia, Asma e Imunologia recomenda que seja feito anteriormente um teste cutâneo de alergia à própria vacina da gripe: caso este seja positivo, e o médico acredite que o risco de não tomar a vacina seja maior do que o risco de reações severas (por exemplo naqueles casos em que o paciente pretence a um grupo de risco para complicações da gripe), é recomendado que a vacina seja dada em um ambiente onde os procedimentos para tratamento da alergia (como injeção de epinefrina) estejam disponíveis caso haja uma reação mais severa

fonte: http://www.vidasemglutenealergias.com/vacina-da-gripe-para-criancas-com-alergia-a-ovos/496/

quarta-feira, 24 de março de 2010

Vacina para Doença Celíaca?

VacinaA existência de um tratamento clínico eficaz para a doença celíaca é o objetivo principal do médico e pesquisador Dr. Bob Anderson. Recentemente, ele iniciou em Melbourne, na Austrália, a primeira fase de ensaios clínicos para o desenvolvimento de uma vacina experimental para a doença.

Se o desenvolvimento da vacina bem como os esforços do Dr. Anderson e sua equipe para a sensibilização da opinião pública forem bem sucedidos, a necessidade de se seguir de forma rígida uma dieta isenta de glúten poderá tornar-se coisa do passado.

A primeira fase dos testes envolverá 40 voluntários portadores da doença celíaca, e tem como objetivo testar a segurança do uso da vacina em humanos; mais especificamente, o espectro de dosagem segura deverá ser determinado, bem como possíveis efeitos adversos. Se, ao decorrer de um ano, a Fase 1 for considerada bem sucedida, uma segunda fase experimental terá como objetivo testar a eficácia clínica da vacina.

A doença celíaca é uma desordem de natureza auto-imune do sistema digestivo, caracterizando-se por um ‘ataque’ do sistema imunológico à mucosa do intestino delgado em função da presença de glúten no organisms (uma proteína encontrada no trigo, centeio e cevada e aveia). Como resultado, pode haver uma ‘achatamento’ das vilosidades do intestino delgado – pregas verticais que aumentam a superfície de absorção de nutrientes pelo intestino - e nódulos que absorvem nutrientes.

Globalmente, estima-se que a doença afete a vida de mais de 6 milhões de pessoas na Europa, América do Norte e Austrália -, embora pelo menos 5 milhões desconhecem serem portadores. A longo prazo os riscos da doença celíaca não tratada incluem desnutrição, infertilidade, fraturas devido à osteoporose, insuficiência hepática e câncer. Atualmente, o único tratamento eficaz para a doença celíaca é a adoção de um dieta totalmente livre de qualquer vestígio de glúten.

"A idéia da vacina é gradualmente dessensibilizar o celíaco, a fim de que a ingestão de glúten seja gradualmente tolerada. Consequentemente, as vilosidades do intestino delgado poderiam se recuperar e absorver nutrientes de uma forma normal. Idealmente, isso significaria o fim da dieta sem glúten para pessoas com doença celíaca."

Fonte:The Walter e Eliza Hall Institute of Medical Research

terça-feira, 23 de março de 2010

Geléia Real


A geléia real é um produto natural, produzido pelas abelhas jovens para alimentar a rainha. Contém notáveis quantidades de proteínas, lipídeos, carboidratos, vitaminas, hormônios, enzimas, substâncias minerais, fatores vitais específicos, substancias biocatalizadoras nos processos de regeneração das células, desenvolvendo uma importante ação fisiológica. Não se conhece na biologia e medicina, outra substância com semelhante efeito sobre crescimento, longevidade e reprodução das espécies.

Importância da Geléia Real

A Geléia real é fornecida como alimento durante 3 dias a todas as crias de abelhas e para a rainha, durante toda a vida. As crias de abelhas operárias, durante esses 3 dias, alcançam o maior desenvolvimento, aumentam seu peso em cerca de 250 vezes mais. A rainha, que sempre recebe a geléia real, terá o dobro do peso da operaria e a sua vida pode chegar até 5 anos, sendo muito prolifera (pode por cerca de 3000 ovos ao dia). Por outro lado, a abelha operária, que é geneticamente igual a rainha, e não recebe geléia real diariamente, vive apenas 35 a 40 dias. Por esses fatos, os valores da geléia real tornam-se claramente evidentes.

Chauvin em 1922, professor na Universidade de Sorbone, recomendou o uso da geléia real na terapia humana. Vários estudos foram feitos a partir daí, investigações em doentes e observações de controle médico.

As indicações do uso da geléia real foram descritas assim: “é um estimulante biológico com ação energética e regeneradora do organismo. Recomenda-se em casos de cansaço, astenia, falta de apetite, nos estados de esgotamento físico e nervoso, transtornos de comportamento, de adaptação social e escolar (rendimento psíquico baixo), nos jovens durante o período de puberdade e adolescência, assim como se recomenda como Tônico geral nas enfermidades com evolução crônica, anemia, anorexia e outros. Não apresenta efeito secundário, portanto, não tem contra indicações.

Segundo pesquisas da Associação Paulista de Apicultores – APACAME, ao começar se nutrir com a Geléia Real você notará:

¨ Eliminação do cansaço físico e mental – por ser 100% pura, Geléia Real contém: proteínas, vitaminas e sais minerais que fortificam seu organismo.

¨ Normalização do apetite – agindo Geléia Real em todo seu organismo ela equilibra as funções gástricas.

¨ Ativação das funções cerebrais – Geléia Real tem a propriedade de manter o cérebro jovem, sem o desgaste dos dias atuais e propiciando um maior rendimento da memória e das atividades intelectuais.

¨ Fortalecimento da energia vital – elevando as substâncias que seu organismo necessita diariamente, você terá mais vigor para executar suas obrigações e prazeres.

¨ Fortificação da visão – com nutrientes encontrados em Geléia Real, constatou-se que existem componentes que fortificam substancialmente o sistema ocular.

¨ Regularização do aparelho digestivo – Geléia Real equilibra seu corpo de tal forma, que reflete em seu intestino, fazendo-o trabalhar dentro das características de seu dia-a-dia. Também age com revigoradora do fígado.

¨ Rejuvenescimento da pele – esta atuação se verifica tanto a nível celular, como de epiderme, podendo ainda Geléia Real ser colocada em composições de cosméticos.

A Geléia Real não é remédio, é um alimento concentrado, com eficácia para o crescimento, a longevidade e a reprodução.


Como usar a Geléia Real:

Em Geral: usar uma espátula, que corresponde a 1,00g diariamente em jejum, colocando em baixo da língua. Pode ser inserida com mel, sucos, diluída em água filtrada (3 dedos em um copo).

Em caso de fraqueza, doenças graves e convalescença: Sugerimos tomar mais vezes ao dia ( 5 a 7 vezes) com doses menores, de 0,25g. (1/4 de espátula)

Em caso de doenças pulmonares, fígado e intestino: Sugerimos ingerir a geléia em jejum 0,5g a 1,00g e antes de dormir: 0,5g

É necessário estocar a Geléia Real à temperaturas abaixo de 0º C. (Freezer). Ao abrir a embalagem, manter na geladeira enquanto se consome.

FONTE: http://www.valedomel.com.br

Associação Paulista de Apicultores – APACAME