quarta-feira, 28 de julho de 2010

Os benefícios do óleo de alho

ALHO (Allium Sativum)
O alho, assim como a Aloe vera, pertence à família das liliáceas. Ele é uma das mais antigas plantas cujo cultivo se tem notícia. Os babilônios o utilizavam contra enfermidades do aparelho respiratório, amebas e vermes, afecções cutâneas, inclusive a lepra. Os hebreus o tinham como um vegetal milagroso. Na pirâmide de Quéops encontraram-se registros do alho fazendo parte da alimentação diária dos escravos, pois lhes aumentava a força e a resistência.
Segundo Aristóteles, o alho ajuda na cura da hidrofobia e é um excelente tônico laxante. Hipócrates o recomendava aos desportistas olímpicos como tônico energético. Os romanos, indianos e chineses dele se utilizavam como vermífugo, contra dores de cabeça, fadiga, fraqueza, infecções e sobre os ferimentos e machucados.
Em 1858, Louis Pasteur demonstrou as propriedades antibactericidas do alho. Albert Schweitzer utilizou-o amplamente para tratar disenterias amebianas quando residiu na África. Nas duas guerras mundiais, o alho funcionou como antibiótico, tal qual ao longo da história da humanidade. Hoje, as pesquisas científicas confirmam suas propriedades fungicidas e bactericidas em relação a mais de 60 diferentes tipos de fungos e 20 tipos de bactérias.

O ALHO NA MEDICINA CHINESA
  • O alho é de natureza quente e yang.
  • Elimina a umidade e o frio.
  • Esquenta o estômago.
  • Dissipa a estagnação dos alimentos e das gorduras.
  • Melhora a circulação do sangue.
  • Estimula as energias.
  • Elimina as toxinas.
  • É Específico Contra:
  • A artrite e o reumatismo.
  • A coqueluche, a asma e a tuberculose
  • A hipertensão e a hipercolesterolemia.
  • A tosse seca e a expectoração sanguinolenta.
  • O sangramento do nariz.
  • Os edemas.
  • Os espasmos.
  • Os gases intestinais.

Deve ser evitado por aqueles cujos olhos estejam secos ou avermelhados ou que estejam sofrendo de alguma dor ou qualquer tipo de inflamação na cavidade bucal.

O ALHO E O SISTEMA CARDIOVASCULAR

Um dos elementos ativos mais importantes do alho é a alicina, que, tão logo o alho fresco é machucado, transforma-se em uma série de compostos sulfúricos.
Acredita-se que a ação que o alho exerce sobre o sistema cardiovascular está relacionada a um de seus derivados, o ajoeno, de ação anticoagulante e potencial antioxidante.
O dissulfeto de alila, outro desses compostos, atua sobre a síntese dos ácidos graxos, do colesterol, dos fosfolipídios e dos triglicerídeos.
A alicina, outro derivado, parece ser um dos mais ativos e ter fortes propriedades antibióticas. Seu potencial antiarteriosclerótico, embora moderado, é acumulativo - necessita de um período de consumo regular para que seus benefícios preventivos e desaceleração do processo da aterosclerose e crises de câimbra comecem a aparecer. O alho promove a desintoxicação do fígado e a eliminação dos agentes cancerígenos, embora sua propriedade anticancerígena em relação ao câncer do cólon, estômago, esôfago, mama e pele também seja atribuída à sua grande concentração de bioflavonóides. O alho funciona sob o binômio dose-resposta - a resposta do organismo depende do quanto ele for consumido.

O ALHO E O GERMÂNIO

Dentre uma lista de minerais como cálcio, cobre, ferro, magnésio e manganês presentes no alho, o maior destaque é o germânio, um mineral que até poucos anos parecia só ser importante para os semicondutores da indústria eletrônica.

O GERMÂNIO

Coube ao Dr. Kazuhiko Asai identificar grandes concentrações de germânio na Aloe, no alho, no confrei e no ginseng, e ao Prêmio Nobel, Dr. Otto Warburg, descobrir que ele aumenta a disponibilidade do oxigênio às células e, assim, diminui o crescimento dos tumores. Hoje, porém, já se sabe que o germânio tem fortes propriedades analgésicas e antioxidantes, além de ser importante para:

  • Aliviar a epilepsia e as neuroses.
  • Combater a angina, a asma, a cirrose, a diabetes, a osteoporose e a sinusite.
  • Equilibrar a pressão sangüínea e os níveis de colesterol.
  • Inibir o desenvolvimento de algumas formas de fungos, inclusive da Candida albicans, pois tem fortes propriedades antifúngicas.
  • Melhorar a qualidade das artérias, combater a hipertensão e a insuficiência cardíaca.
  • Potencializar o sistema imunológico, estimulando:
  • - o aumento da produção do interferon;
  • - a multiplicação das células natural killers e dos macrófagos;
  • - a eliminação das células cancerosas e toxinas com maior eficiência.
  • Prevenir a doença de Raynaud e reduzir a incidência de gangrena.
  • Prolongar a sobrevida das pessoas com câncer de bexiga, cólon, fígado, laringe, mama, pulmão e útero.
  • Proteger da ação asfixiante do monóxido de carbono.
  • Reduzir a intensidade dos quadros de artrite.
  • A suplementação alimentar com germânio inorgânico, entretanto, é desaconselhada.
PRECAUÇÃO NA AQUISIÇÃO DO ÓLEO DE ALHO

Não existindo regulamentação ou forte fiscalização sobre a fabricação dos concentrados de óleo de alho, muitos são portadores de metais pesados e de resquícios de agrotóxicos. É igualmente importante a certeza de que os princípios ativos do alho estejam presentes, algo que só a idoneidade do fabricante pode nos dar. Do contrário, seus efeitos serão praticamente nulos.

PROPRIEDADES ESPECÍFICAS DO ÓLEO DE ALHO

Antiaterosclerótico. Antibiótico. Anticancerígeno. Anticoagulante. Anticolesterolênico. Antidiabético. Antiespasmódico. Antifúngico. Antioxidante. Anti-reumático. Antitireoidítoco. Antitrombótico. Antiviral. Bactericida. Diaforético (promove a transpiração). Digestivo. Diurético. Expectorante. Hepatoprotetor. Hipotensor. Protetor de doenças cardíacas. Reconstituinte. Relaxante muscular e cardíaco. Revitalizante. Tônico. Vermífugo.

Um comentário: